Como funciona a gestão de pneus no ProLog?

Tempo de leitura: 4 minutos

Quando falamos que atuamos na gestão de pneus, algumas pessoas nos perguntam “Mas, o que exatamente o ProLog faz?”. Então, para sanar esta dúvida, preparamos este artigo, que explica os passos da metodologia ProLog. Confira!

Existem muitas atividades envolvidas numa estratégia completa de gestão de pneus, pode-se interpretá-la como todo o processo envolvendo os pneus, contemplando compra, aferição, manutenção e descartes. O ProLog, tem como foco principal a aferição e os processos a ela ligados. Nosso objetivo é através da metodologia, que alia processos, aplicativo e equipamento, gerar informações precisas, possibilitando redução de tempo, esforço e custos.

Como se divide a metodologia ProLog?

Para organizar e otimizar o controle de pneus, o módulo de gestão de pneus do sistema, divide-se em uma série de funcionalidades envolvidas no processo. Veja em detalhe o que acontece em cada uma das etapas:

  • Cronograma de Aferições

Os pontos chave dessa etapa são a visibilidade e a possibilidade de definição de prazo de vencimento das aferições. O aplicativo traz a lista das placas da unidade, separadas por modelo de veículo e ordenadas segundo o tempo da última aferição. Para indicar a quanto tempo cada veículo teve sua aferição realizada, são utilizadas  “barras de vida”. Cada placa tem suas barras de vida, que podem ser configuradas com prazos diferentes de vencimento para aferição de pressão e de sulcos. Além disso, na parte superior da tela, outra barra agrupa todos os veículos da unidade.

  • Aferição

Nesta etapa, o usuário faz a checagem da pressão de calibragem e da profundidade dos sulcos. Essa verificação é feita usando o equipamento aferidor próprio desenvolvido pela Zalf. Enquanto a aferição é feita nos pneus, na tela do smartphone são exibidos diagramas contendo o número de fogo de cada pneu e apresentando os índices de pressão e profundidade verificados pelo aferidor. Ao final de cada aferição é realizada a coleta da quilometragem, pressão e profundidade de cada pneu do veículo.

  • Análise dos dados

A análise dos dados é um fator de grande importância, pois pode basear decisões e ações do responsável pela gestão de pneus.  Após a coleta, os dados são analisados para verificar a adequação aos padrões definidos pela empresa. Tanto a pressão quanto a profundidade dos sulcos de cada pneu são avaliadas. A partir dessa análise e dos padrões previamente definidos, são abertas as OSs necessárias para cada situação.

Calibragem: quando há perda ou excesso de pressão.

Inspeção: quando verificada dispersão demasiada de pressão.

Movimentação: em casos de diferença entre os sulcos de um mesmo pneu ou desgaste além do padrão estipulado.

  • Finalização de serviços (OSs)

  • Nesta etapa, nos casos em que houve foi aberta OS de calibragem, são solicitadas novas medições com o equipamento de aferição. Assim, garante-se que o pneu está com a pressão recomendada.  Nos casos dos serviços de inspeção abertos na fase de análise, nesta etapa é necessário informar qual o problema foi encontrado no pneu.
  • Movimentação

  • A etapa de movimentação, diferencia-se um pouco das demais, pois não estará necessariamente ligada a aferição do pneus. Ela pode aparecer no processo de aferição em determinados casos, onde haverá a abertura de um serviço de movimentação (etapa de análise de dados), que precisará ser encerrado (etapa de finalização de serviços). Entretanto, ela também pode acontecer de forma isolada, em outros momentos da rotina de atividades da gestão pneus.Toda movimentação pode ser feita diretamente no aplicativo, tendo as seguintes possibilidades de origem e destino:
    • Estoque: o sistema tem acesso aos pneus em estoque do cliente, podendo movimentá-los para a análise, veículo ou descarte.
    • Análise: uma vez movido para este status um pneu só poderá retornar ao estoque após inserção de informações sobre realização de recapagens (quando houver), e as novas medidas da banda de rodagem do pneu.
    • Veículo: Os pneus aplicados em um veículo podem ser movidos para todos os destinos, sendo eles: estoque, análise e descarte.
    • Descarte: Em caso de recusas de recape, para que seja possível realizar a movimentação para esta condição é necessário incluir a foto do laudo da recapadora.

    Ainda que não contemple diretamente etapas como compra e recapagem, o ProLog está focado em gerar informação, o que é possível através dos dados armazenados pelo histórico de aferições. Tais dados permitem avaliar o desempenho dos pneus e podem nortear o gestor quanto ao melhor fornecedor, melhores práticas de direção relacionadas a segurança e economia, previsão de compras de pneus, volume de manutenções, durabilidade e custo por km. Tudo isso pode ser analisado através de relatórios e dashboards disponíveis aos usuários do sistema.

    Quer saber mais sobre o ProLog? Gostaria de testá-lo na sua operação?

  • Entre em contato com um consultor ProLog agora mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *