Qual a relação da gestão de pneus com o custo de uma operação de transporte

Tempo de leitura: 2 minutos

Todo negócio ou departamento de uma empresa, tem um fator muito importante que demanda o olhar atento de seus gestores, o custo operacional. Em uma operação de transporte, isso não é diferente. É preciso atenção a todos os insumos e serviços necessários para a operação da frota, de modo a manter o equilíbrio dos custos da operação.

Neste texto, falaremos da importância da gestão de pneus dentro desse controle do custo de operação. Confira!

Pneus e combustível: os dois principais custos da operação

Os dois principais fatores que compõem o custo de uma operação de transporte, são os gastos com pneus e combustível. O investimento em pneus, representa o segundo maior custo na maioria das operações de transportes, ficando atrás apenas do gasto com combustível. Um fator importante a considerar é a forma como a gestão de pneus se relaciona com o consumo de combustível, pois além de possibilitar o aumento da durabilidade dos pneus, algumas práticas simples da gestão de pneus podem contribuir também para a redução do consumo de combustível.

Principais medidas da gestão de pneus que podem prolongar a durabilidade

Aferição de pressão

Controle constate da pressão de calibragem dos pneus. Rodar com os pneus com a calibragem abaixo do indicado pode ocasionar deformidades, prejudicando a estrutura do pneu. Além disso, a baixa pressão causa também o aumento do consumo de combustível.

Medição de desgaste dos sulcos

Controlar o comportamento de desgaste dos pneus, ajuda a entender as medidas preventivas  a serem tomadas para evitar o encurtamento da vida útil do pneu.

Rodízio de pneus

Com base nos dois itens anteriores, principalmente no histórico de desgaste, realizar as mudanças de posição dos pneus. Assim, é possível prevenir ou corrigir desgastes irregulares e sobrecarga de esforço dos pneus.

Recapeamento de pneus

O processo de recapeamento consiste em adicionar uma nova camada de borracha aos pneus, renovando sua banda de rodagem. Dessa forma, é possível prolongar o tempo de uso de um pneu. Geralmente, um mesmo pneu pode passar por até 3 recapes, dispensando a necessidade de adquirir um pneu novo. Entretanto, a possibilidade e quantidade de recapes irá variar de acordo com a situação do pneu. Para que possa passar por este tipo de procedimento o pneu tem que estar com sua estrutura conservada, caso contrário pode acontecer a recusa de recape, por parte das empresas que prestam o serviço de recapagem. Por isso, as medidas básicas de aferição de pressão e milimetragem dos sulcos são tão importantes. Adotando algumas práticas básicas, assegura-se que o pneu será usado de forma a não ter sua estrutura danificada.

Existem diversas outras estratégias e fatores, a serem considerados na operação para reduzir e otimizar os custos. Acompanhe nosso blog e confira outros conteúdos e novidades sobre este tema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *