Guia Pneus de Empilhadeira: tudo o que você precisa saber

entenda tudo sobre pneus de empilhadeira

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Que tal reduzir custos com os pneus de empilhadeira da sua empresa? Confira as informações mais importantes sobre eles a seguir.

Há vários detalhes para você considerar antes de escolher um pneu para a sua empilhadeira e ainda mais para cuidar deles depois de instalados.

Por exemplo, há tipos de pneus mais recomendados para solos pavimentados, outros para solos internos e outros para solos irregulares. Para entender mais sobre isso, montamos este breve guia. Leia mais.

Quais são os tipos de pneus para empilhadeira?

Eles podem ser divididos em cinco categorias:

Pneumáticos

Estes possuem câmara de ar. Ou seja, é necessário realizar a calibragem deles e controle de pressão seguindo um cronograma.

Embora tenham pneus de manutenção mais simples, os pneumáticos são os mais utilizados visto que são excelentes no papel de amortecer impactos do veículo com o solo.Isso acontece por conta da sua composição com uma borracha forte e resistente. Por esse mesmo motivo, também são os pneus mais indicados para terrenos irregulares. 

Sólidos

Por serem pneus produzidos com borracha dura, o amortecimento de impactos não acontece. Consequentemente, é o tipo menos utilizado em empilhadeiras.

O que você precisa saber sobre ele é que: pode ser usado tanto em áreas internas quanto externas, mas deve-se evitar o uso em superfícies irregulares.

E-BOOK
GESTÃO DE PNEUS

Economia e produtividade com a gestão de pneus.

Prolog - Ebook Gestão de Pneus

Poliuretano

Este é o tipo mais recomendado para empilhadeiras elétricas. O seu design é realizado de maneira que funciona sendo pressionado sobre a roda do veículo, quase “substituindo” a função desta.

Principalmente usado em ambientes internos, não tem um bom desempenho em terrenos acidentados.

Superelásticos

Esse tipo é maciço e recomendado para terrenos como asfalto e cimento queimado. Isto é: terrenos regulares. Por possuírem uma alternativa na cor branca, que não mancha o chão, são a opção para indústrias farmacêuticas, químicas e alimentícias.

Uma vantagem deles: assim como os pneus sólidos, os superelásticos não precisam ser calibrados. 

Cushion

Este é como um subproduto dos pneus superelásticos. Por isso,  também são maciços, mas o diferencial deles é que são produzidos com borracha vulcanizada. 

Onde utilizar eles? Em operações pavimentadas de pisos lisos internos.

Qual o pneu certo para a sua frota de empilhadeiras?

A resposta aqui é curta e simples: use o modelo recomendado pelo fabricante do veículo.

A verdade é que escolher os pneus errados pode gerar diversos resultados negativos. Entre eles: danos na máquina, manchas e danos em ambientes de trabalho e atraso das operações.

Quando trocar os pneus de empilhadeira?

Na mesma medida em que você precisa escolher os pneus da sua empilhadeira, também precisa saber qual a hora certa de trocá-los. 

As indicações são trocar quando:

  • estiver liso, poroso ou atingir o limite de 1,6mm de profundidade dos sulcos;
  • tiver fissuras, falhas ou desigualdades entre os componentes;
  • houver desgaste excessivo;
  • atingir o tempo de vida útil, normalmente, de 3 anos.

Quais os riscos de não trocar os pneus que atingiram seu limite de uso? Estes incluem acidentes, danos em cargas, aumento do consumo de combustível e perda de veículos.

É possível recapar esses pneus?

Sim, porém, apenas dois tipos podem passar por esse processo de troca da banda de rodagem. Estes são os sólidos e os pneumáticos.

Outra diferença:

Enquanto os pneus de caminhão ou ônibus podem ser recapados em torno de 3 vezes, quando bem conservados, os de empilhadeira passam pelo processo apenas uma vez.

Para realizar a recapagem, a carcaça não pode estar danificada. Portanto, deve ser feita a remoção do pneu antes de este atingir o limite de 1,6 mm de profundidade dos sulcos.

O que causa desgaste nos pneus de empilhadeira?

Essa é uma pergunta essencial. O desgaste excessivo, geralmente, é a principal causa de perda precoce dos pneus. Por isso, preste atenção na resposta:

Pressão baixa

Claro, esse problema é específico para os tipos de pneus de empilhadeira que necessitam da calibragem. O que acontece com a baixa quantidade de ar nos pneus é que eles terão uma flexão excessiva nas paredes laterais. 

Além de mexer na estrutura do pneu, irá causar um aumento de temperatura e aumentar o desgaste destas peças.

Algumas causas da perda de pressão podem ser pelo protetor danificado ou mal posicionado, válvula curta, descentralizada ou sem tampa, entre outros.

Pressão alta

Na mesma lógica, apenas pneus que têm câmara de ar terão o desgaste por pressão alta. O que acontece é que a carcaça terá uma tensão excessiva e acabará perdendo a capacidade de flexão.

Como consequência, o amortecimento será prejudicado e o pneu irá sofrer mais com rupturas e danos.

Manutenção da empilhadeira

A manutenção do veículo também é um cuidado essencial para as empilhadeiras. Tarefas como o alinhamento e balanceamento da máquina devem ser rotineiras para evitar o desgaste dos pneus.

Operação da empilhadeira

O modo de dirigir está diretamente relacionado à conservação dos pneus. Desse modo, alta velocidade, arranques e frenagens bruscas ou usar o reverso sem parar a máquina antes são ações comuns que aumentam o desgaste da borracha dos pneus.

Além disso, evite o excesso de peso nas empilhadeiras.

Quais os cuidados ideais para pneus de empilhadeira?

Os pneus de empilhadeira requerem manutenção constante, assim como qualquer outro tipo de pneu.

Assim, desde o controle de calibragem, remoção de detritos dos sulcos e banda de rodagem até a identificação de rachaduras, arrancamentos e danos por impactos devem fazer parte do dia a dia de um gestor de frota de empilhadeiras.

Ao unirmos todos os cuidados para melhorar a durabilidade dos pneus, esta é a lista completa:

  • fazer a calibragem correta;
  • circular na velocidade recomendada pelo fabricante;
  • evitar arrancadas e freadas bruscas;
  • evitar longas exposições em pisos não pavimentados e irregulares;
  • manter o eixo alinhado;
  • realizar a manutenção preventiva com frequência;
  • fazer o controle de pneus.

Para conhecer uma solução de gestão de pneus tecnológica, confira o Prolog App.

Economize mais aumentando a vida útil dos pneus de sua frota.

Entenda como a solução de Gestão de Pneus do Prolog faz isso por você.

Aproveite e leia também

como providenciar melhorias na frota com o treinamento para motorista de caminhão

Entenda a importância do treinamento para motorista de caminhão

Você já percebeu que sempre que falamos em redução de custos na frota, há uma seção “treinamento para motorista de…

Read Story
como montar e usar uma planilha de controle de frota

Como fazer controle de frota? Aprenda a montar uma planilha eficiente

Para empresas que estão em período de organização e sem uma metodologia de gestão padronizada, a planilha de controle pode…

Read Story
entenda como prevenir pneus carecas na sua frota

Fuja dos pneus carecas: confira os cuidados ideais para aumentar a durabilidade

Pneus carecas são um acontecimento recorrente, mas devem ser evitados a todo custo. Entenda por que é importante ter controle…

Read Story
Arrow-up