Como evitar a recusa de recape

Evitando a recusa de recape em 4 passos

Luiz Felipe
Luiz Felipe
Powered by Rock Convert

A recapagem de pneus é uma prática comum de controladores e gestores, fazer parte da rotina de gestão de pneus em operações de transporte rodoviário. Porém, o que fazer quando ocorre a recusa de recape?

A importância desse processo é imensa para auxiliar no controle de custos operacionais. Aqui no Brasil, cerca de 30% dos pneus são descartados antes da hora por falta de informação ou investimento.

A recapagem de pneus é uma alternativa que pode ajudar as empresas transportadoras a aumentar a vida útil dos pneus de suas frotas e, dessa maneira, economizar na compra de pneus novos.

No entanto, algo que também é visto em muitas situações é a impossibilidade de realizar a recapagem devido à avarias excessivas na estrutura das carcaças. Esse é um fator que encarece a manutenção dos veículos e gera, muitas vezes, dores de cabeça para os gestores de frota.

Quer entender como evitar a recusa de recape? Continue lendo para conferir nossas dicas!

Rodízio de pneus

O desgaste de pneus é inevitável, afinal, é o único ponto de contato de um veículo com o solo. Assim, eles já são projetados com o conhecimento de que irão se desgastar com o tempo de uso.

Além disso, durante as viagens, há diversos fatores que contribuem para um desgaste irregular dos pneus, como:

  • a condição das estradas;
  • o peso e a distribuição da carga dentro do veículo;
  • o clima durante o transporte.

Esses desafios podem ser reduzidos com o rodízio de pneus, ajudando a maximizar a vida útil dos pneus e dando maior estabilidade ao veículo.

Para garantir maior segurança e evitar problemas e, até, multas, sempre confira as regras determinadas pelos órgãos oficiais responsáveis pela legislação de trânsito brasileira.

Pressão da calibragem

A periodicidade de verificação da pressão de calibragem dos pneus de um veículo influencia muito no desempenho dos mesmos. Além de impactar nos serviços e custos de manutenção da frota.

Geralmente, é preciso verificar a calibragem pelo menos uma vez por semana. Mas, claro, é importante estar atento às recomendações dos fabricantes do veículos e dos pneus. Isso é essencial para entender a frequência ideal para calibrar os pneus, além dos níveis corretos que você deve seguir.

Essa é a maneira de garantir a segurança e o melhor desempenho dos caminhões da sua frota. Igualmente, reduzindo os impactos de desgaste de pneus e fazendo com que a recusa de recape não aconteça.

Powered by Rock Convert

Além da periodicidade das aferições, é muito importante contar com recursos que garantam a precisão das informações coletadas. Pois é a confiabilidade da informação que fará a diferença no acompanhamento do desgaste e na estratégia adotada para a gestão de pneus da sua operação.

Conduta de direção dos motoristas

A boa direção de um veículo é grande parte do que causa danos e falhas nos caminhões. Por esse motivo, orientar a capacitar os motoristas sobre as boas práticas de direção é um investimento mais do que necessário.

Mais do que proporcionar maior segurança aos condutores, eles devem entender qual o papel que representam na economia de recursos e desempenho da frota.

O gestor de frota é o principal responsável por estar em contato com todas as áreas da empresa, já que essa tarefa envolve setores como o Recursos Humanos. A comunicação interna entre os diferentes setores é um enriquecimento nas campanhas de conscientização e treinamentos de motoristas.

Do mesmo modo, fazendo com que seja criado um diferencial competitivo da empresa em relação aos seus concorrentes.

Comportamento de desgaste dos sulcos

Acompanhar o desgaste da banda de rodagem é tão importante quanto o monitoramento da pressão. E como é feito esse processo? Pode ser realizada pela medição periódica da profundidade dos sulcos.

Esse procedimento ajuda a:

  • identificar desgastes irregulares nos pneus;
  • entender qual comportamento levou à deterioração;
  • garantir que os pneus não continuem rodando após atingir o nível máximo de desgaste.

Para um melhor entendimento dos pneus da sua frota, você pode fazer uma análise de acordo com o fornecedor, os tipos de veículos, as rotas realizadas e quem foi o motorista de determinado veículo.

Você pode, ainda, utilizar outras informações para essa análise. Destacamos esses pois acreditamos que são os principais fatores que contribuem para identificar o que reduz a vida útil dos pneus e o que ocasiona a recusa de recape.

Essas são algumas das principais formas de prolongar a vida útil dos seus pneus. Assim, aos seguir essas dicas, você está no caminho certo para evitar danos estruturais nos pneus. Ou seja, você evita a recusa de recape pela recapadora e o descarte precoce das carcaças da sua frota.

Você quer reduzir a recusa de recape e aumentar a vida útil dos seus pneus? Um especialista do Prolog App pode ajudar você a entender como implementar um sistema que vai fazer exatamente isso. 

Converse com um de nossos atendentes agora mesmo!

Powered by Rock Convert

0 Comments

Deixe uma resposta

− 1 = 8

More great articles

O que é logística reversa?

Você precisa de um processo de logística reversa? Entenda mais sobre o assunto

Onde a logística reversa se encaixa na gestão de frotas? Todas as frotas precisam dela? Aqui está o essencial que…

Read Story
qual a relação entre gestão de pneus e custos operacionais da frota?

Como a gestão de pneus impacta os custos da operação de transporte

Entender e controlar os custos da operação de transporte pode ser um trabalho difícil. Mas se você souber os componentes…

Read Story

4 motivos para usar a tecnologia na gestão de pneus da sua operação.

A evolução da tecnologia tem trazido benefícios para o cotidiano de muitas atividades nos dias atuais. O uso da tecnologia…

Read Story

Never miss a minute

Get great content to your inbox every week. No spam.
[contact-form-7 404 "Not Found"]
Arrow-up
Translate »

O GUIA DA
GESTÃO
DE FROTAS